NOTÍCIAS

Conversando Sobre a Medicina Antroposófica

2 de setembro de 2013
 “O desenvolvimento do ser humano é:
Acender no fogo anímico do amor
A sabedoria luminosa do espírito”

(Rudolf Steiner, 25/09/1909)

         Esta semana o Brasil está em festa. Festa marcada pela Jornada Mundial da Juventude, com sede no Rio de Janeiro, que atraiu a visita do recém-nomeado líder mundial da Igreja Católica, o papa Francisco. Homem simples que, com sua postura humilde, tem sensibilizado milhões de pessoas para a importância da espiritualidade. Em sua primeira homilia no Brasil, realizada no dia 24/07/013 na Basílica de Nossa Senhora Aparecida, ele resumiu sua mensagem de fé: "conservar a esperanc¸a, deixar-se surpreender por Deus e viver a alegria" (1);

         Você pode estar se perguntando: porque falar sobre a visita do Papa em um texto sobre Medicina Antroposófica? Simplesmente porque a visita do Papa retoma o tema “espiritualidade”, que temos tratado nos últimos posts e, por retomar este tema, dá abertura para falarmos sobre mais uma medicina considerada complementar e alternativa: a Medicina Antroposófica, que se baseia no método da Ciência Espiritual ou Antroposofia.

         A Antroposofia (do grego "conhecimento do ser humano") foi introduzida no início do século XX pelo austríaco Rudolf Steiner. Ela parte do princípio de que o homem, além de sua constituição biológica e social, é dotado de uma essencialidade espiritual (2). A pedagogia proposta por esta filosofia é a Pedagogia Waldorf, conhecida por respeitar o desenvolvimento natural da criança, sem forçar precocemente sua intelectualização (3).

         É uma ciência apaixonante, que avalia o ser humano através de uma visão holística, fundamentada em conhecimentos como: trimembração, quadrimembração, setênios, arquétipos elementares, planetários e zodiacais (3). Podemos dizer que a Antroposofia alcança um conhecimento suprassensível da realidade do mundo e do destino humano.

         De forma resumida, pincelaremos alguns conceitos importantes desta ciência:

             Trimembração: é a observação do indivíduo a partir dos sistemas: Neuro-sensorial (cujo centro se localiza na cabeça e representa o suporte corpóreo da vida mental); Rítmico (cujo centro está nos órgãos torácicos e representa a base corpórea da vida dos sentimentos); Metabólico (cujo centro se encontra na região inferior do ser humano e representa a base corpórea da vida volitiva, ou seja, da vontade) (4);

             Quadrimembração: é a avaliação dos arquétipos Terra, Água, Ar e Fogo, que representam, respectivamente, corpo físico, corpo vital (ou corpo etérico), corpo anímico (ou corpo astral) e individualidade humana ("Eu") (3);

             Setênios: o sete é um dos números mitológicos da Criação – na Bíblia, o mundo foi criado em sete dias. Da mesma forma, a existência humana se subdivide em ciclos de sete anos (os setênios): 0 a 7 anos, 7 a 14 anos, 14 a 21 anos, e assim por diante.  De 7 em 7 anos, algo significativo acontece na constelação arquetípica da pessoa (3);

             Arquéticos zodiacais: a Antroposofia identifica a essencialidade cósmica do ser humano, fazendo sua relação com as configurações do zodíaco. Trata-se da visão duodecimal do homem e da natureza (3).

         Segundo a Antroposofia, as quatro características humanas que devem ser preservadas e desenvolvidas são: consciência, auto-consciência, individualidade  e  liberdade (5). São palavras de Rudolf Steiner: “A natureza faz do ser humano um mero ser natural; a sociedade, um ser que age segundo leis; somente ele próprio pode fazer de si um ser livre”.

         Quando um paciente é submetido a uma avaliação por um médico antroposófico, todos esses aspectos citados são avaliados, e as opções de tratamento são variadas, incluindo: medicamentos naturais, obtidos dos três reinos da natureza (mineral, vegetal e animal) devidamente preparados e dinamizados, terapia artística, eurritmia curativa, massagem rítmica, hidroterapia, fricções, musicoterapia, quirofonética, etc. (5).

         Inúmeros artigos científicos já mostraram os benefícios da Medicina Antroposófica. Estudos do tipo cohort, conduzidos na Alemanha, com duração média de 2 anos,  envolvendo pacientes portadores de asma (n=90), doenças crônicas (n=665), enxaqueca (n=45)  e crianças com Transtorno do déficit de Atenção com Hiperatividade (n=61) confirmaram os benefícios desta medicina através da melhora dos sintomas e redução da severidade das doenças, associado à melhora de qualidade de vida dos pacientes. Nestes estudos, foram utilizados os seguintes tratamentos: medicamento, euritmia, terapia artística e massagem rítmica terapêutica (6,7,8,9).

         Uma revisão dos 265 estudos clínicos publicados até 2011 concluiu que, apesar da qualidade metodológica variar entre os ensaios, e alguns apresentarem limitações, a maioria dos estudos mostrou resultado positivo, raros efeitos colaterais e alta satisfação dos pacientes em relação aos resultados (10).

         Vale ressaltar a Medicina Antroposófica é divulgada e praticada em 56 países, e sua grande expressividade se dá na Alemanha. Para clinicarem, os médicos precisam de formação clínica convencional (com registro no Conselho Regional de Medicina – CR), e formação específica complementar em Medicina Antroposófica no Brasil ou no exterior.

         A área de Ciências do Bem-Estar da Natura tem grande interesse pela Antroposofia, principalmente porque se trata de uma ciência que considera o ser humano em suas diferentes dimensões, o ser humano integral, e inclusive a utiliza como base epistemológica para realização de algumas pesquisas da área. A pesquisa realizada para desenvolvimento do gestual de massagem entre avós e netos, por exemplo, englobou conhecimentos sobre os setênios e a massagem rítmica.

         No próximo post, falaremos um pouco mais sobre este tema, com uma novidade para o Blog: entrevista com Dra. Marieta Marques – médica angiologista e cirurgiã vascular formada pela UNICAMP, com formação pela ABMA – SP  (Associação Brasileira de Medicina Antroposófica) e formação biográfica pela Associação Sagres de Florianópolis.  Aguardamos você para compartilhar conosco um pouco da experiência desta excelente profissional e pessoa encantadora!

Conhecendo o mundo, o ser humano encontra a si próprio,
E conhecendo a si próprio, o mundo se lhe revela.

(Rudolf Steiner, 17/08/1920)

 

Vânia Hercilia Talarico Bruno é Farmacêutica-Bioquímica, com ênfase de formação em Alimentos e Nutrição pela UNESP e pós-graduada em Administração Industrial pela Fundação Vanzolini – USP. Massoterapeuta formada pela Escola Amor (Associação da Massagem Oriental) e mãe de Gabriel (3) e Guilherme (1.8). Atualmente dedica-se à maternidade, ao estudo de temas filosóficos e à prestação de serviços em Consultoria Científica.

 Contato: vaniatal@yahoo.com.br

 
Referências:

 

1)   Primeira homilia do Papa, disponível em: http://www.cnbb.org.br/site/imprensa/noticias/12468-primeira-homilia-do-papa-francisco-no-brasil-conservar-a-esperanca-deixar-se-surpreender-por-deus-e-viver-a-alegria,
2)   MORAES, W. A. Medicina antroposófica : um paradigma para o século XXI. 2 . ed. ABMA Associação Brasileira de Medicina Antroposófica; p. 61 – 62, 101, 35-145, 181-182,327-328; 2007;
3)   HEYDEBRAND, C. A natureza anímica da criança. Ed. Antroposófica Ltda, Ed. 2006, Reimpressão: 2011;
4)   HAUSCHKA, M. Massagem Rítmica segundo Ita Wegman: Fundamentos;
5)   Conteúdo disponível em: http://www.sab.org.br/antrop/ANmainFrame.htm. Consulta em 27/07/2013;
6)   HAMRE H, et al. Anthroposophic therapy for asthma: A two-year prospective cohort study in routine outpatient settings. Journal of Asthma and Allergy 2009:2 111–128;
7)   HAMRE H, et al. Outcome of anthroposophic medication therapy in chronic disease: A 12-month prospective cohort study. Drug Design, Development and Therapy 2008:2;
8)   HAMRE H, et al. Anthroposophic Therapy for Migraine: A Two-Year Prospective Cohort Study in Routine Outpatient Settings. The Open Neurology Journal, 2010, 4, 100-110;
9)   HAMRE H, et al. Anthroposophic therapy for attention deficit hyperactivity: a two-year prospective study in outpatients. International Journal of General Medicine 2010:3 239–253;
10)   KIENLE GS, GLOCKMANN A, GRUGEL R, HAMRE HJ, KIENE H. Clinical research on anthroposophic medicine:update of a health technology assessment report and status quo. Forsch Komplementmed. 2011;18(5):269-82;
*Frases de Rudolf Steiner encontradas no site da Sociedade Antroposófica: http://www.sab.org.br/steiner/afor-autod.htm;