NOTÍCIAS

Conheça alguns dos perfis dos participantes que vão se reunir em nossa maratona de inovação

8 de Março de 2016
Estamos na contagem regressiva para o Hackathon Ekos: Mãos na Mata. Nossa proposta de promover quatro dias de imersão na natureza e prototipagem em Belém chamou a atenção de muita gente,  com os mais diversos interesses. Uma parte dessa turma já tem experiência em maratonas de inovação, mas, para alguns dos nossos 32 selecionados, o desafio promete ser completamente novo.
É o caso de Marcela Porto. Este será o primeiro hackathon da estudante de economia, que vive em São Paulo. Com apenas 21 anos, ela já acumula uma trajetória de atuação com projetos sociais. “Trabalhei por dois anos com educação popular e economia criativa, em uma incubadora tecnológica de cooperativas populares. Desenvolvi projetos com redes de artesãos, hortas comunitárias e, neste período, até fiz uma visita ao Pará”, diz.
A viagem pode não ser inédita, mas a presença em uma maratona de inovação e prototipagem está empolgando a estudante.  “Eu nem sabia que existia essa história de hackathon, mas eu gosto muito da criação conjunta, de trabalhar coletivamente. Por isso, quando fiquei sabendo que todo mundo ia ter a oportunidade de dar uma ideia e contribuir com as ideias dos outros, trabalhar juntos, fiquei muito animada em participar”, resume Marcela.
A empolgação também chegou em São Carlos, interior de São Paulo, onde o engenheiro de computação Rogério Ruivo aguarda a oportunidade de conectar dois grandes interesses seus. Maratonas de programação são frequentes na rotina dele, mas foi o convite a  trazer a natureza para perto que tornou a experiência do Hackathon Ekos muito mais interessante.
“Desde adolescente mantenho um projeto de plantio de viveiro de arvores, é um hobby que eu tenho. A minha ideia é unir a tecnologia a esse projeto, para criar viveiros inteligentes, que tornem possível fazer um monitoramento dessas árvores. Quando eu soube do hackathon da Natura, fiquei muito animado com essa possibilidade”, explica Rogério.
Em poucos dias, as ideias e vivências da Marcela e do Rogério serão compartilhadas com os demais participantes do Hackathon Ekos.  “Vai ser muito divertido, todo mundo entregando o melhor de si para criar alguma coisa nova. Mal posso esperar para interagir com as comunidades locais e compreender melhor essa nova fronteira econômica, as possibilidades de estabelecer novas relações mercadológicas”, afirma Marcela.