NOTÍCIAS

Conheça em detalhes o nosso novo Centro de Pesquisa Aplicada em Bem-Estar e Comportamento Humano

19 de julho de 2016
A Natura e a FAPESP acabam de lançar o Centro de Pesquisa Aplicada em Bem-Estar e Comportamento Humano. Já em funcionamento e sediado no Instituto de Psicologia da USP (IPUSP), em São Paulo, o Centro é formado por uma rede de 30 pesquisadores das áreas de psicologia e neurociências da Universidade de São Paulo (USP), da Universidade Federal de São Paulo (Unifesp) e da Universidade Presbiteriana Mackenzie (UPM).
Preparamos uma lista de perguntas e respostas que vão ajuda-lo a entender melhor os objetivos do espaço, que receberá investimentos de R$40 milhões ao longo de dez anos para estudar o bem-estar humano.
Confira!
Perguntas e Respostas
1. O que é o Centro de Pesquisa Aplicada em Bem-Estar e Comportamento Humano?
O Centro de Pesquisa Aplicada em Bem-Estar e Comportamento Humano articula um time de 30 cientistas conectados em redes colaborativas e atuando em diversas instituições, entre elas USP, Unifesp e Mackenzie.
O objetivo do centro é estruturar uma base sólida de conhecimento sobre o bem-estar humano a partir da integração de diferentes áreas, como neurociência, psicologia positiva, psicologia social e ciências da saúde, humanas e sociais aplicadas.
Este será o maior núcleo científico do país voltado à pesquisa do bem-estar e terá como objetivo impulsionar o conhecimento na área a partir de pesquisas multidisciplinares.
Natura e Fapesp investirão R$ 20 milhões (R$ 10 milhões cada) em dez anos. As universidades parceiras também contribuirão com apoio institucional e administrativo aos pesquisadores envolvidos.
Os projetos são elaborados e desenvolvidos conjuntamente pelos pesquisadores da Natura e da academia.
O centro não terá um espaço físico exclusivo. As pesquisas usarão a infraestrutura dos parceiros.
2. Quais as áreas de conhecimento envolvidas no centro?
As áreas do conhecimento envolvidas são neurociência, psicologia, ciências da saúde, humanas e sociais aplicadas.
3. Quantos pesquisadores atuarão no centro?
Cerca de 30 pesquisadores.
4. Qual o modelo de inovação do Centro de Pesquisa Aplicada?
A iniciativa se destaca pelo seu ineditismo no cenário nacional e internacional ao unir ciência de ponta, aplicação, inovação e o desejo de geração de impactos positivos na sociedade através do entendimento do bem-estar, por meio do trabalho conjunto entre a inciativa privada e uma rede de parceiros dos meios acadêmicos, governamentais e outros. O Centro é o primeiro na área de Humanidades criado a partir de um modelo de financiamento compartilhado entre uma empresa privada e uma agência pública de apoio à pesquisa.
Com o Centro, criamos intersecções com as ciências humanas e sociais aplicadas, gerando novas oportunidades de pesquisa inovadora nesse campo. O Centro concilia dois pilares: o da psicologia (com ênfase na psicologia positiva e sua noção de bem-estar, incluindo as condições objetivas de vida, saúde, alimentação, habitação) e o da neurociência.
O centro está na vanguarda da inovação aberta. A Natura é pioneira nesta forma de fazer inovação no Brasil, desde 2001 realiza parcerias e desde 2006 possui o Programa Natura Campus que promove a colaboração científica e tecnológica externamente envolvendo parceiros nacionais e internacionais de instituições de pesquisa, governo, empresas e empreendedores. Atualmente desenvolve projetos em uma rede de inovação aberta global de mais de 200 parceiros.
5. O que será pesquisado no Centro?
Os pesquisadores do centro se articularão em torno de 11 projetos voltados ao desenvolvimento de indicadores de bem-estar, por meio de estudos sobre o reconhecimento e a regulação de emoções, assim como a influência do contexto familiar e da sociedade nas relações humanas. Temas ligados à indústria cosmética – como a maneira com que as fragrâncias e a maquiagem podem alterar o estado de ânimo e a autoestima das pessoas – também serão estudados.
6. Qual o objetivo do Centro de Bem-Estar e Comportamento Humano?
O centro já nasce com uma preocupação voltada ao aspecto cientifico, à divulgação do conhecimento para a sociedade e à transferência de tecnologia.
Os resultados das pesquisas guiarão projetos que promovam a busca pelo bem-estar, tanto pela Natura como por outros atores. Por isso o centro de bem-estar tem uma coordenação de educação e difusão do conhecimento, que traduzirá o conhecimento resultante das pesquisas para a sociedade, em aspectos que possam ser aplicados na melhoria de vida das pessoas. O centro tem também uma coordenação de transferência de tecnologia, que traduzirá o conhecimento para a empresa.
O bem-estar é um tema que se presta ao estudo cientifico, mas tem também uma aplicação social, de tal modo que a gente possa aumentar a consciência das pessoas e talvez até gerar politicas públicas que se voltem ao bem-estar e para a melhoria da qualidade de vida das pessoas. É comum hoje que as pessoas busquem apenas a ausência do mal-estar, e não o bem-estar em si.
O centro buscará aprofundar o conhecimento científico sobre o bem-estar em diversas frentes, como:
7. Com tantos parceiros, quem ficará responsável pelo centro?
O centro tem governança compartilhada. A diretora será a professora Emma Otta, e a gerente científica da área de Ciências do Bem-Estar da Natura, Patrícia Tobo, será a vice-diretora.
8. Que tipo de tecnologias e equipamentos serão empregados nos estudos?
O centro lançará mão desde instrumentos psicológicos convencionais – como questionários e escalas, plataforma de captação de dados on-line – até tecnologias mais avançadas – como eye tracking, eletroencefalografia e imagiamento cerebral por infravermelho, uma alternativa móvel ao uso de ressonância magnética que é uma tecnologia bastante disruptiva e pouco disponível no Brasil.
9. Qual o papel da Fapesp no dia a dia do centro?
A FAPESP estabeleceu rituais de avaliação períódica do Centro e dedicará coordenadores para suporte a eventuais demandas que surgirem, além da execução do Termo de Outorga que estabelece a concessão de seus recursos para o dia a dia do Centro.
10. Pesquisadores de outras universidades (além de USP, Unifesp e Mackenzie) poderão apresentar projetos para desenvolver em rede no centro?
Somente os participantes do Centro poderão apresentar projetos, no entanto, pesquisadores de outras instituições deverão estabelecer relacionamento com os pesquisadores do Centro de modo a propor parcerias e novas atividades conjuntas.
11. Quais as principais áreas de conhecimento que guiarão as pesquisas?
Psicologia e neurociência.
12. O que é psicologia positiva e neurociência? De que forma o Centro trabalha com essas ciências?
A psicologia estuda o comportamento e as causas do comportamento, e a psicologia positiva representa uma mudança importante de ênfase – da doença para a saúde. Vamos entender melhor isto, considerando que a saúde não é exatamente a ausência da doença, assim como o bem-estar não é exatamente o contrário do mal estar.
A neurociência estuda as bases fisiológicas do comportamento – como o cérebro controla o nosso corpo. O que acontece quando sentimos uma fragrância agradável ou desagradável, quando interagimos com uma pessoa de que gostamos ou não, quando vemos cenas positivas ou negativas.
O nosso centro tem uma característica inovadora pelo fato de conciliar esses dois pilares – o pilar da psicologia (com ênfase na psicologia positiva) e o pilar da neurociência.
13. O que é o bem-estar, na visão da psicologia?
A psicologia trabalha com o conceito de bem-estar subjetivo, que tem duas dimensões principais. Uma delas é a dimensão do nosso pensamento sobre as nossas condições de vida, de habitação, de alimentação, de saúde. O bem-estar também envolve uma outra dimensão, que é a emocional, ou seja, como nós nos sentimos no nosso dia a dia – a alegria, a tristeza, a raiva, o medo, a gratidão, a ternura que nós sentimos em relação às pessoas.
Essa primeira dimensão – o pensar sobre as condições objetivas de vida – envolve as nossas condições de renda, de uma forma bastante linear, enquanto a segunda dimensão é mais complexa. Pode ser que gestos muito simples bastem para que a gente se sinta melhor. Por exemplo, expressar gratidão em relação a pessoas importantes para nós, ser amável com as pessoas.
14. Como serão as pesquisas na área da psicologia?
Diversos projetos estão ancorados em estudos observacionais, combinados a avaliações subjetivas – que medem como o indivíduo se sente, usando questionários e escalas validadas cientificamente – e medidas objetivas – que acessam como o corpo reage a determinado estímulo.
Os pesquisadores partem do princípio de que não é apenas evitando o mal estar que se garante o bem-estar, no que é chamada psicologia positiva. Por exemplo: se você não estiver com nenhuma dor ou doença, será que isso garante a sensação de bem-estar? Não. O bem-estar não é estático; ele muda o tempo todo. Se você atinge o bem-estar, logo deixará de se sentir assim se não fizer mais nada.
O foco nas emoções negativas se deve ao pensamento de que “se está tudo bem, pra que me preocupar?” O Centro de Bem-Estar vem para colocar o estudo das emoções positivas de coadjuvante a protagonista.
15. De que forma as pesquisas sobre bem-estar podem ser aproveitadas em produtos da Natura?
Há cerca de dez anos a Natura desenvolve metodologias para medir o bem-estar das pessoas pesquisando e aplicando métodos objetivos, que envolvem reações fisiológicas (como voz, batimento cardíaco, sudorese) e métodos subjetivos (por meio de questionários e relatos espontâneos).
Essas metodologias foram aplicadas no desenvolvimento de diversas linhas de produtos, por exemplo:
– Mais recentemente, lançamos Mamãe e Bebê Hora do Sono: desenvolvemos e testamos um hidratante com fragrância relaxante e um ritual de massagem e avaliamos a eficácia neste produto no sono do bebê.
– Óleo de massagem Mamãe e Bebê: o bem-estar da mãe foi medido objetiva e subjetivamente antes e depois da aplicação do produto com massagem e ouvindo um CD relaxante.
– Linha VôVó, lançada em 2011; Métodos para medir o bem-estar foram aplicados no desenvolvimento de álbum de memórias para avós e netos e gestuais de massagem que a criança poderia fazer nas mãos dos avós.
16. Qual a importância do Centro de Bem-Estar para a Natura?
A iniciativa reforça a vanguarda da Natura na pesquisa do bem-estar. O bem-estar é a razão de ser da Natura. As Ciências do Bem-Estar integram uma das principais linhas de pesquisa da Natura, que estuda o tema há mais de dez anos. Com o Centro de Pesquisa Aplicada, queremos buscar ainda mais profundidade e protagonismo no campo científico de forma colaborativa, para avançar em conhecimento, tecnologia e inovação aplicadas ao tema.
A literatura existente está muito baseada em países estrangeiros. Com o centro, temos a oportunidade de ter um foco maior na população brasileira e, posteriormente, da América Latina, onde a Natura tem forte atuação, para a produção de conhecimento e o desenvolvimento de metodologias, indicadores, conceitos e novos produtos.
Os resultados desses projetos poderão fornecer insights, conceitos e metodologias para a geração de produtos e serviços inovadores, que agreguem mais valor ao que a Natura oferece. O centro reforça nosso desejo de entender as relações e emoções humanas de modo a desenvolver produtos e experiências que toquem nossos consumidores.
Saiba mais